Início / Comunicado / Câmara aprova flexibilização do horário da Voz do Brasil, veja como ficará diante da proposta

Câmara aprova flexibilização do horário da Voz do Brasil, veja como ficará diante da proposta

BRASÍLIA — A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira a flexibilização do horário de transmissão de “A Voz do Brasil” pelas emissoras de rádio. Pelo projeto, não valerá mais a regra que obrigava o início do programa às 19h em todo território nacional. As emissoras comerciais e comunitárias do Brasil poderão transmitir o programa com início entre 19h e 21h. Continuará valendo, porém, a obrigatoriedade de exibição diária – exceto aos sábados, domingos e feriados – na integralidade de seus 60 minutos e sem cortes.

 O texto traz mais uma novidade. Ficará a cargo do Poder Executivo determinar ainda maior flexibilização ou até a dispensa de transmissão da “Voz do Brasil” em situações excepcionais.

O texto originário da Câmara já passou pelo Senado, onde sofreu alterações, e foi apreciado novamente pelos deputados. Agora a matéria vai direto para sanção do presidente Michel Temer. As emissoras educativas não entram na flexibilização e serão obrigadas a manter o horário hoje vigente.

A divisão do tempo a que cada poder tem direito continuará a mesma: 25 minutos para o Executivo, 5 minutos para o Judiciário, 10 minutos para o Senado e 20 minutos para a Câmara.

A Justiça vem concedendo decisões liminares que já flexibilizam o horário de exibição ou até permitem que algumas emissoras deixem de transmitir o programa. Muitas rádios que conseguiram decisão do Judiciário alegaram que no horário das 19h queriam oferecer informações de utilidade pública.

A votação aconteceu por acordo entre a maior parte dos partidos. O deputado José Rocha, do PR da Bahia defende o novo horário.

– Não vai acabar com a Voz do Brasil. Ao contrário, haverá mais oportunidades para que o ouvinte ouça A Voz do Brasil. Ele pode pegar no horário das sete, das oito ou das nove horas da noite – disse ele.

O deputado Ivan Valente, do PSOL de São Paulo, discorda. Para ele, a alteração pode fazer com que o ouvinte “fuja” do programa, sintonizando em outra rádio que não esteja transmitindo a programação oficial. Ele destacou ainda eventuais dificuldade de fiscalizar a exibição em todo país, já que não serão feitas todas no mesmo horário.

O deputado Celso Russomanno (PRB-SP) aposta que “naturalmente, as rádios vão acabar quase que em sua maioria concentrando o programa na faixa das 21h”.

A Voz do Brasil foi criada em 1935, mas com outro nome, “Programa Nacional”, para divulgar ações do Estado Novo, na época do então presidente Getúlio Vargas, de acordo com a Agência Brasil. Em 1938, foi rebatizado de “Hora do Brasil”, quando passou a ser obrigatório em todo território nacional e sempre às 19h. O nome “A Voz do Brasil” foi adotado somente em 1971. E segue como o programa mais longevo no país.

A transmissão do programa já foi flexibilizada durante a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada e Paralímpíada do Rio de 2016.